Ambev investiu R$ 3,1 bilhões no Brasil no 4º trimestre

A Ambev reportou que, em 2014, os investimentos em Capex da companhia no Brasil somaram R$ 3,1 bilhões.

O montante supera a expectativa anterior da companhia, que era de investir uma quantia abaixo dos R$ 2,8 bilhões investidos em 2013.

Ao todo, incluindo outros países, a Ambev teve um Capex de R$ 4,493 bilhões em 2014, sendo R$ 1,276 bilhão apenas no quarto trimestre.

A empresa anunciou ainda suas perspectivas para 2015. A expectativa é de que neste ano o total de investimentos no Brasil seja similar ou inferior ao de 2014.

“Particularmente no Brasil, apesar ambiente macroeconômico ainda desafiador, seguimos confiantes com nossa estratégia comercial e com as oportunidades que vemos adiante”, disse a companhia em sua divulgação de resultados.

A Ambev deu destaque ao novo modelo tributário aprovado para o setor de bebidas.

“Após quatro anos do volume da indústria sendo pressionado por aumentos reais de impostos, temos um novo modelo tributário aprovado, e não esperamos qualquer impacto material no volume para os próximos anos”, afirma a empresa.

Metas

Entre os guidances (metas) da companhia estabelecidos para 2014, foi cumprida a meta de crescimento da receita líquida no Brasil perto de dois dígitos baixos.

A receita no País subiu 10,6% no ano. Para 2015, a companhia informou que espera que a receita líquida no Brasil cresça entre um dígito médio e um dígito alto.

Também divulgou sua expectativa de que o Custo do Produto Vendido (CPV), excluindo depreciação e amortização, no Brasil cresça entre um dígito médio e um dígito alto no ano, incluindo o impacto de desvalorização do Real durante 2014.

A fabricante de bebidas espera ainda que as despesas gerais e administrativas (SG&A), excluindo depreciação e amortização, no Brasil cresçam abaixo da inflação este ano.

Operações internacionais

Em relação às operações internacionais, a Ambev afirmou que segue cautelosa com relação ao cenário macroeconômico na Argentina.

“Entretanto, nos mantemos não só comprometidos com nossos objetivos de longo prazo mas também confiantes em nossa habilidade de gerar um crescimento sólido e rentável na região da América Latina Sul (LAS)”, disse a companhia.

Na América Central e Caribe (HILA-Ex), a empresa informou que espera que 2015 seja de “sólido desempenho da receita líquida e do Ebitda, enquanto equilibra o plano na região através de estratégias de crescimento orgânico e inorgânico”.

 

Font: Exame